Professora Marie-France Chambat-Houillon apresenta pesquisa sobre redes identitárias do canal France Info

Das 14h30 às 17h30, no dia 03 de Novembro de 2016
Faculdade de Comunicação

Na próxima quinta-feira (3), às 14h30, a professora Marie-France Chambat-Houillon Universidade Sorbonne Nouvelle – Paris III, realiza conferência sobre Redes identitárias de um novo canal de televisão na França: France Info. Através de convite realizado pelo Centro de Pesquisa em Estudos Culturais e Transformações na Comunicação (TRACC), sua apresentação acontece na sala 5 do PósCom, na Faculdade de Comunicação da UFBA.   

A pesquisadora busca mapear as redes identitárias formadas através de um jovem canal público, o France Info. Inaugurado no dia primeiro de setembro deste ano, sua programação é constituída por 24 horas de notícias. A formação do canal foi feita a partir da aliança dos grupos midiáticos France Télévisions, Radio France, France Médias Monde, como também do l’Institut national de l’audiovisuel.

Sobre a pesquisadora – Marie-France Chambat-Houillon é especialista em televisão, analista de mídias e professora do Instituto de Comunicação e Mídias (ICM), da Universidade Sorbonne Nouvelle – Paris III, onde leciona disciplinas ligadas à semiologia e ao estudo das imagens. Ela é membro do Laboratoire de Recherche Interdisciplinaire Industries Culturelles et Création Artistique (Labex ICCA) e do Centre d´Études sur les Images et les Sons Médiatiques (CEISME).

Entre os dias 25 e 27 de outubro, Marie-France participou da quarta edição do Seminário Internacional Patrimoines-Images-Médias-Identités (PIMI), projeto de cooperação que tem o apoio do Centre National de la Recherche Scientifique/CNRS, e que é coordenado, na França, pela Université de Lyon (LARHRA/Laboratoire de Recherche Historique Rhône-Alpes), e no Brasil, pela Universidade Federal da Bahia, através do TRACC. O projeto tem como intuito promover um espaço de interlocuções para pesquisas em Comunicação no Brasil e França, a fim de encorajar as políticas de arquivamento do acervo audiovisual e o desenvolvimento de intercâmbios sobre as ferramentas e métodos para sua análise.

Além das duas equipes coordenadoras, estão envolvidos, do lado francês, as universidades Sorbonne-Nouvelle, Grenoble e Aix-Marseille e a Phonothèque de la Maison Méditerranéenne des Sciences de l’Homme, e, do lado brasileiro, os programas de pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, da Universidade Federal de Santa Maria e da Universidade Federal de Minas Gerais.

unnamed