PósCom

Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia – PósCom/UFBA comemorou vinte anos de existência em 2010. O Curso de mestrado foi aprovado pela Capes em 1989. A primeira turma iniciou seus trabalhos em 1990, sob a coordenação de Marcos Palacios (05/1990 a 09/1993). O curso de doutorado implantou sua primeira turma em 1995, sob a coordenação de Wilson Gomes (10/93 a 09/97).

Desde 1993, quando o curso de mestrado recebeu o primeiro conceito Capes (antes disso, a Capes possuía a referência SC = Sem Conceito, para cursos novos), o programa tem se mantido estavelmente localizado no patamar da excelência. Tivemos conceito A desde a primeira avaliação e quando esta nota foi trocada pela escala numérica, nunca nos foi atribuído algum conceito abaixo de 5. Vale lembrar que somente na avaliação trienal Capes 2007/2009, a nota 6 passou a ser atribuída a um curso da área de Comunicação.

O Programa congrega pesquisadores em três linhas de pesquisa: Comunicação e Cultura Digital, Culturas da Imagem e do Som  e Mediatização e Indústrias de Mídia.

A aparente adição “comunicação & cultura” é vista pelos pesquisadores não como uma mera justaposição de dois campos de problemas (aos quais, de resto, acrescentar-se-ia a marca adjetiva “contemporâneas”). Pelo contrário, ela é tratada como uma unidade, onde o nexo é dado pela compreensão de que, na contemporaneidade, está em vigor uma nova cultura e que esta cultura pode ser entendida de modo fecundo apenas levando-se em conta o seu essencial enlace com as novas formas, linguagens e processos da comunicação. Assim sendo, o objeto de estudos que o Programa compreende como sendo próprio não o é o amálgama de “cultura & comunicação”, cujo recorte seria dado apenas pela restrição “contemporâneas”, mas a cultura (ou as culturas) da comunicação na contemporaneidade, ou seja, a cultura contemporânea naquilo que nela se explica pela presença abrangente dos meios de comunicação.

Desde a sua origem, o programa se caracteriza por uma inserção nítida do seu objeto na área de Comunicação e pela interdisciplinaridade em tudo o mais, como é evidente na constituição do seu programa de estudos, na diversidade da capacitação acadêmica dos seus pesquisadores e docentes e na variada origem disciplinar dos seus estudantes. Assim se, por um lado há um norte temático unificante dado pelas interfaces entre comunicação & cultura, comunicação & tecnologia e comunicação & política, por outro lado, muitas das disciplinas das ciências humanas e sociais, das ciências sociais aplicadas e das artes encontram-se representadas através dos autores e obras de referência, bem como da formação acadêmica dos professores e estudantes.

Os princípios que têm orientado as atividades acadêmicas e a formação dos pesquisadores no PósCom/UFBA enfatizam as atividades dos Grupos de Pesquisa que proporcionam produtivo ambiente de trabalho que amplia a capacidade de agregar e articular, por afinidades teóricas e metodológicas, docentes e discentes.

Os níveis de mestrado e doutorado do PósCom estruturam-se em uma mesma área de concentração, “Comunicação e Cultura Contemporâneas”. O Programa entende a aparente adição “comunicação & cultura” não como mera justaposição de dois campos de problemas (aos quais, de resto, acrescentar-se-ia a marca adjetiva “contemporâneas”). Pelo contrário, insiste em tratá-la como unidade, na qual o nexo é dado pela compreensão de que, na contemporaneidade, está em vigor uma nova cultura que pode ser entendida
de modo fecundo levando-se em conta seu essencial enlace com novas formas, linguagens e processos da comunicação. O objeto de estudos que compreende como sendo próprio não é o amálgama de “cultura & comunicação”, cujo recorte seria dado apenas pela restrição “contemporâneas”, mas a(s) cultura(s) da comunicação na contemporaneidade, ou seja, a cultura contemporânea naquilo que nela se explica pela presença abrangente dos meios de comunicação.
Os anos de consolidação do PósCom produziram uma percepção, cada vez mais nítida, dos temas e problemas que concretizavam seus objetos de estudos e dos percursos, modelos e categorias de análise necessários para abordá-los. Nessa perspectiva, são contemplados, ao menos, quatro horizontes de problemas: 1) o problema da sociabilidade contemporânea e de sua vinculação essencial, num trânsito multidirecional, à cultura mediática. Investigamos formas de sociabilidade plasmadas por essa cultura e modos de instituição e circulação do poder, de instauração e configuração da política e das esferas públicas
em geral; 2) o problema das novas formas de percepção e de produção e circulação de sentido, solicitados e configurados na cultura mediática pela ambiência das tecnologias digitais; 3) as questões que dizem  respeito às dificuldades, possibilidades e necessidades de demarcação desta nova cultura; 4) os possíveis modelos e categorias de análise que devem ser acionados para a compreensão da cultura mediática, o que gera o problema epistemológico da metodologia de pesquisa capaz de dar conta dos fenômenos e
linguagens da comunicação contemporânea. Há, portanto, um norte temático unificante dado pelas interfaces entre comunicação e cultura traduzidos nas Linhas de Pesquisa do Programa.
A administração do Programa cabe a um Colegiado pleno, composto por todos os membros do Corpo Docente Permanente e por representação estudantil referente a cada nível (mestrado e doutorado). Com o Colegiado pleno temos atingido maior articulação e participação ativa dos docentes nos processos consultivos e decisórios que regem a vida de nossa comunidade científica. A eficaz recomposição das Linhas de Pesquisa, associada à condução da reforma curricular, realizadas em 2019, são fruto dessa gestão coletiva.